Loading...
saúde & bem estar

Por que a moda é tão importante para as crianças? 5 pontos para repensar essa relação

30 de outubro de 2023 | 0

A moda para crianças não tem a ver com consumo nem com marcas. Essa relação é baseada na necessáriaa expressão da personalidade dos pequenos.

Com uma experiência de mais de 20 anos no ramo da moda, posso afirmar com convicção que essa indústria é muito mais do que apenas uma questão de roupas. Trata-se de uma linguagem universal que transcende fronteiras e culturas, permitindo que pessoas de todas as idades e origens expressem sua identidade, criatividade e personalidade. Dessa forma, pergunto: por que a moda é tão importante para as futuras gerações?  

Muitas vezes, os pais subestimam o papel significativo que ela desempenha na formação e personalidade e no dia a dia dos pequenos. E, neste artigo, inspirada pelo mês das crianças e pelos dois filhos que vivem a moda comigo, convido você a explorar este universo no contexto do desenvolvimento, da liberdade de expressão e do conforto infantil.

Foto: Theo & Olivia

Construção da personalidade da criança 

Profissionais da área da saúde afirmam que a formação da personalidade de uma pessoa é um processo complexo e que começa nos primeiros meses de vida. 

 As crianças observam, absorvem e reproduzem comportamentos, sendo influenciadas pelos costumes da sociedade que as envolve. Portanto, cada detalhe desempenha um papel importante na personalidade daquela criança, incluindo – e até mesmo principalmente – as escolhas de vestimenta que ela faz. 

Embora eu não atue na psicologia, a minha longa trajetória profissional e a maternidade me concedem o conhecimento necessário para afirmar que cada seleção de cores, estampas e estilos que uma criança faz ao se vestir não apenas afeta sua aparência, mas também o seu desenvolvimento intelectual e emocional. 

Crianças não nascem com preconceitos. Elas têm uma tendência natural a explorar possibilidades, o que inclui suas escolhas de moda. Entretanto, se essa exploração for suprimida ou encontrar desaprovação social, isso pode ter efeitos prejudiciais em seu amadurecimento a longo prazo.  

Por exemplo, a privação da liberdade para expressar seu estilo pessoal pode criar obstáculos emocionais, resultando em um adulto inseguro, e até mesmo limitar a capacidade de se desenvolver plenamente. 
 

A moda como ferramenta de expressão  

A moda é, sem dúvida, uma ferramenta de expressão incrivelmente poderosa, permitindo que cada indivíduo comunique sua individualidade e criatividade. Essa liberdade ultrapassa barreiras de idade e restrições linguísticas, transformando-se em uma linguagem universal que transcende a necessidade de palavras. 

Uma provocação aqui: com que frequência você se encontrou na situação em que seu filho desejava vestir roupas com estampas, cores e combinações que desafiavam as normas tradicionais da sociedade? Esses momentos vão muito além de simples caprichos infantis; eles representam oportunidades autênticas para as crianças revelarem sua verdadeira essência e expressarem seus sentimentos, e adiante, tornarem-se adultos mais seguros. 

Foto: Theo & Olivia

O papel dos pais na formação  

O papel dos pais na formação de seus filhos é uma tarefa desafiadora, e como mãe, compreendo as constantes incertezas que acompanham a parentalidade. Afinal, encontrar o equilíbrio entre oferecimento de liberdade de escolha e orientação é um desafio constante.  

Embora cada família tenha seu próprio estilo de educação, minha sugestão, com base no contexto deste artigo, é a seguinte: permitir que seus filhos tomem suas próprias decisões sobre o que vestir. Não que a orientação e supervisão não sejam importantes, aqui em casa, é comum em dias frios as crianças insistirem em usar uma roupa fresca, ou então, usar a mesma fantasia todos os dias da semana. Mas, dar liberdade para as crianças e entender o que as motivam a vestir isso ou aquilo, fortalece a autoestima e a autoconfiança delas. 

Agir como guias, respeitando a identidade de seus filhos enquanto se mantêm sensíveis às normas sociais, é essencial. Em situações em que as decisões das crianças não podem ser completamente seguidas, é fundamental dialogar e explicar as razões por trás dessas decisões, em vez de impor restrições arbitrariamente.

Desafiando os padrões estéticos  

A imposição de padrões estéticos é uma questão séria em nossa sociedade. Determinar o que é considerado bonito ou feio com base em modelos generalizados e não valorizar as características naturais das crianças pode ter um impacto profundamente negativo em sua autoestima.  

Portanto, é fundamental permitir que as crianças tenham o direito de escolher suas próprias roupas, de valorizar sua identidade única e, acima de tudo, ensiná-las a cuidar de si mesmas e a se amarem incondicionalmente, independentemente de qualquer fator externo. 

Ao apoiar as escolhas de vestimentas de seus filhos, os pais estão capacitando-os a se sentirem confiantes em suas decisões. Isso auxilia as crianças a desenvolverem habilidades de discernimento e julgamento crítico, capacidades essas que serão inestimáveis ao enfrentar as pressões sociais no futuro.  

Não esqueça do conforto  

Além de expressar sua identidade, as roupas infantis desempenham outros papéis fundamentais, tais como: priorizar o conforto das crianças, permitindo que elas desfrutem da liberdade de brincar e se movimentar livremente; e os pediatras recomendam a escolha de tecidos suaves e hipoalergênicos devido à sensibilidade da pele infantil. Cumprindo todas essas funções, os itens feitos de algodão garantem conforto e não causam danos à pele. Além disso, as peças com essa composição têm a vantagem de serem duráveis e de alta qualidade, resistindo às brincadeiras e aventuras diárias, mantendo-se em excelente estado mesmo após várias lavagens. 

Neste mês das crianças e em todos os dias, lembramos que a moda não é apenas sobre o que vestir, mas sobre quem somos, como nos expressamos para o mundo e estarmos confortáveis. Vamos encorajar nossos filhos a abraçar sua singularidade e a se vestir de acordo com sua verdadeira essência? 

 

 


1 comentário

deixar um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *