Loading...

blog / Evolução da indústria têxtil: o que é possível criar com o auxílio das grandes inovações

| 14 de março de 2022 | 0

Como o avanço tecnológico contribuiu na evolução da indústria têxtil, na qualidade de tecidos e no manejo responsável de resíduos 

A história da indústria têxtil tem muito a dizer sobre a sua evolução nos meios de produção, economia e na vida dos trabalhadores da área.  

Sua constante transformação ao longo dos anos trouxe melhorias de software das máquinas de tecido e, como consequência, proporciona aos costureiros, designers e estilistas, opções infindáveis para explorar sua criatividade no trabalho. 

Se, por um lado, essas inovações estão tornando a moda mais criativa, por outro, colaboram para a diminuição no desperdício de água, energia e matéria-prima, além de expandir cada vez mais a possibilidade de reutilização de resíduos têxteis.  

Conversamos com Fernando Valente Pimentel, Presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), que falou sobre as novidades do setor e suas práticas sustentáveis.   

SDA – O que impulsionou as grandes empresas a inovarem os seus processos de produção têxtil? 

FP – O setor mudou com a ascensão da China e de outros países asiáticos, que iniciaram uma corrida aparentemente sem limites por preços e custos baixos de produção ao longo dos anos. A evolução da economia têxtil, no entanto, abriu caminhos novos e nunca antes previstos. Por meio da internet e das tecnologias de comunicação, foi possível disseminar a informação em tempo real para qualquer parte do mundo, fazendo com que a transposição do espaço físico passasse a ser o principal fator limitador e diferenciador de acesso entre os mercados, os novos produtos e as máquinas para produções inovadoras. O processo é cíclico, porque passa repetidamente por etapas de análise, avaliação e correção de rumo por todos os envolvidos.  

SDA – Podemos considerar que os equipamentos já permitem uma produção mais assertiva? 

FP – Sim. Hoje, as máquinas podem fabricar desenhos, contexturas e tecidos com estruturas e cortes complexos. Na estamparia digital, por exemplo, temos a capacidade de produzir pequenos lotes, o que antes era muito difícil. A tecnologia, em inúmeros processos, traz hoje mais flexibilidade e redução de consumo e de desperdício. 

SDA – Hoje, quais investimentos geram melhor desempenho para as empresas da indústria têxtil?  FP – Enfatizar a alta qualidade, prazos curtos de entrega e grande flexibilidade gera um enorme impacto de rentabilidade para muitos âmbitos da indústria e da moda. Como, hoje, a maioria dos produtos têxteis pode ser reciclada, permitindo a recuperação de boa parte da energia e do material empregados, inúmeras máquinas de malharia podem fabricar desenhos, contexturas e tecidos com estruturas complexas. O aumento da eficiência energética e da redução de resíduos contribuíram para que a comercialização evoluísse, e também para que se tornasse altamente competitiva, exigindo cada vez mais esforços tecnológicos para atender às demandas imediatas da moda.   

 

0 comentários

deixar um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.