Loading...

blog / Como funciona o tingimento de tecidos de algodão?

algodão & sustentabilidade | 29 de abril de 2021 | 3

Conheça as curiosidades do tingimento de tecidos de algodão, etapa super importante da produção da sua roupa, e por que cada tipo de fibra precisa de um corante específico 

Não há registros oficiais de quando se deu início a personalização de tecidos, mas diversas literaturas documentam que, por volta de 2000 a.C., alguns países como China, Peru e Índia já dominavam a arte do tingimento de tecidos de algodão. Nesta época, colorir tecidos era um ofício caseiro, mas, durante o passar dos anos e com o avanço da indústria química, este trabalho ganhou escala. 

Com a Revolução Industrial, por exemplo, a demanda por produtos têxteis cresceu vertiginosamente. Mas, foi em 1856 que o primeiro corante foi sintetizado, fazendo com que o tingimento de materiais como papel, tecido e couro não dependesse mais apenas de recursos naturais. 

O que é o tingimento e como ele impacta o tecido? 

O tingimento é um processo químico que modifica a cor da fibra têxtil através da aplicação de substâncias corantes em solução aquosa. Porém, para que o tingimento seja satisfatório, deve haver afinidade entre a fibra e o corante. Por issonenhum pigmento é universal, ou seja, capaz de tingir todas as fibras e, muito menos, uma fibra pode ser tinta por todos os corantes.  

Antes dos tecidos receberem cor, eles precisam ser preparados, ou seja, passam por processos que eliminam ceras, óleos, gomas, entre outras impurezas presentes no material que podem comprometer a uniformidade do tingimento e impactar diretamente na qualidade do tecido. 

De forma geral, é possível tingir o algodão em fio ou o tecido de algodão como um todo. Cada um dos produtos do tingimento traz a possibilidade da criação de novos padrões e cores. 

Neste contexto, o tingimento do fio de algodão em bobinas é uma prática comumAqui os fios coloridos são combinados para formar listrados, xadrezes, jacquards e alguns clássicos como pied de pouleJá o tingimento do urdume (fios longitudinais de um tecido) de algodão com corante índigo é o que cria o famoso denim, que dá vida aos jeans que tanto amamos. 

Combinação de fios de diversas cores possibilita padronagens como o xadrez do tecido Galles, da Cataguases | Foto: divulgação

Tipos de corantes e técnicas 

Diferente dos corantes reativos, que são os mais usados no tingimento de fibras celulósicas como o caso do algodão, o índigo é um corante que não tem afinidade com essa fibra. Quando aplicado no Brim, ele forma apenas uma camada superficial no fio, permitindo os efeitos industriais como as lavagens, que possibilitam diferentes tonalidades.  

Já o tingimento de tecidos de algodão em cores lisas acontece de forma homogênea ao longo de todo o seu comprimento. A vantagem do uso desse tipo de tingimento é a redução do uso de substâncias químicas e a simplificação dos processos. 

Mais recentemente, peças prontas fabricadas com tecidos de algodão também passaram a ser tingidas em lavanderias. Esse processo possibilitou a fabricação de mais cores de um produto sem alto custo de tecido. Neste caso, o tecido é comprado todo em PT (termo usado no mercado para se referir a tecidos prontos pra tingir). Nesse modelo de produção, é possível confeccionar 10 vestidos e ter um de cada cor. Porém, tecidos muito finos ou costuras mais soltas ou não projetadas para serem lavadas com exposição à temperatura, podem danificar a peça final. 

Peças da Alcance Jeans, marca parceira Sou de Algodão. Para tingir os fios do brim, usa-se o corante índigo, que recobre a fibra com uma fina camada superficial, possibilitando o desgaste e personalizações de tonalidades. Foto: divulgação Alcance Jeans

Por que os tecidos desbotam? 

Além da necessidade de se preocupar com os processos de tingimento, é preciso considerar também a fixação desses corantes nas peças de roupas. Excluindo o índigoque produz uma peça sedenta por desbote e desgastes, os tecidos precisam ter solidez (capacidade de um tecido de manter a cor) e cuidados com a lavagem, exposição à luz, ao suor, à fricção, entre outros. 

Apesar de parecer um processo simples, o tingimento têxtil é complexo e sensível. Qualquer grama de corante a mais, variação brusca da temperatura e quantidade da água podem gerar uma cor diferente da prevista na produção, gerando prejuízos ao fabricante. 

Sendo o tingimento um dos processos têxteis onde se usa mais água e se gera mais resíduos, é fundamental prestarmos atenção às inovações que estão sendo aplicadas nesta etapa. Atualmente, há muitas alternativas para se reduzir o volume de banho, a adoção de corantes naturais e processos de tingimento a frio, entre outros processos sustentáveis. Porémisso é assunto pra um outro artigo. 

Referências: 

http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/11465/1/AP_CODEM_2014_2_16.pdf visto em 15/03/2021  

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tingimento visto em 18/03/2021 file:///C:/Users/01148/Downloads/283- 

 

3 comentários
  1. Rouse cristiane ferreira
    Rouse cristiane ferreira says:

    Muito interessante a história do tingimento do algodão ,nunca sabemos antes como faz , pelo processador passa, muito bom

    Responder
  2. Rozana Soares
    Rozana Soares says:

    Que história bacana sobre o tingimento. Acompanho as tecelãs do Vale do Jequitinhonha e elas fazem todo o processo artesanal utilizando folhas e cascas. É uma verdadeira alquimia com cores variadas.

    Responder

deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *