Loading...

blog / Roupas de algodão minimizam alergias na pele e sistema respiratório

saúde & bem estar | 21 de julho de 2020 | 0

O inverno chegou e é bem comum que nessa época do ano as alergias piorem e existem vários motivos para que isso ocorra. Confira abaixo os principais fatores que aumentam a incidência de alergias com manifestações cutâneas e respiratórias no inverno:

RESSECAMENTO DA PELE E DAS MUCOSAS

Essa estação do ano mais fria deixa naturalmente a pele mais seca e vulnerável às agressões externas. O ressecamento pode causar coceira e levar a formação de feridas e até infecções. Pacientes que têm dermatite atópica, por exemplo, sofrem mais e devem reforçar a hidratação da pele e os cuidados no inverno.

Assim como a pele, as mucosas das vias aéreas também ficam mais ressecadas pelo ar frio que entra pelas narinas. Isso altera a produção do muco e os cílios do tecido respiratório, que têm a função de “varrer as impurezas” desses locais, têm maior dificuldade de se movimentarem e de protegerem esse sistema dos processos inflamatórios e infecciosos.

BANHOS QUENTES, DEMORADOS E COM HIGIENIZAÇÃO INADEQUADA

Os banhos com água mais quente que tomamos no inverno e sabonetes sem tecnologia syndet também contribuem para a remoção da camada lipídica protetora da pele, propiciando assim, maior chance de alergias cutâneas.

Nesse caso, o próprio ressecamento da pele é o responsável pela alergia e chamamos essa afecção de dermatite asteatósica. Este quadro é caracterizado por uma pele bem ressecada, áspera e com descamação, algumas vezes com pontos de escoriação.

UTILIZAÇÃO DE ROUPAS GUARDADAS POR MUITO TEMPO

Muitas vezes, tiramos do guarda-roupa aqueles casacos mais pesados e quentinhos que ficaram por muitos meses sem uso. Isso é um grande gatilho para alergias, uma vez que gera acúmulo de pó e ácaros nessas roupas de frio.

Os ácaros vivem em ambientes úmidos e alimentam-se de células humanas mortas que se encontram em tecidos de roupas, sofás, cortinas, tapetes.

Daí a importância de armazenarmos essas roupas corretamente em material impermeável e colocá-las para tomarem banho de sol de vez em quando. Isso evita o acúmulo de pó e dessa classe de aracnídeos.

ROUPAS DE FRIO FEITAS COM MATERIAL FELPUDO

Geralmente as roupas de inverno e acessórios como cachecol e gorro são fabricados com material mais felpudo, como a lã, que é um fio natural mas que solta muitos fiapos. Isso pode irritar as vias respiratórias e desencadear quadros alérgicos intensos como rinite e asma.

Por isso, se escolhermos uma peça mais felpuda, devemos escolher as que soltam menos fiapos. Para pessoas que tem antecedentes pessoais alérgicos como história de asma e dermatite atópica, o melhor mesmo é não usar esse tipo de roupa. Além disso, tecidos como a lã têm outro problema: as tramas mais largas permitem e facilitam a deposição de pó e ácaros.

DICAS PARA EVITAR ALERGIAS NO INVERNO

HIDRATAÇÃO: Devemos nos hidratar ingerindo pelo menos 2l de água por dia. É fundamental investirmos na hidratação da pele com cremes ou loções hidratantes e no uso de sabonetes ou óleos com ação hidratante. Precisamos hidratar também a mucosa nasal com soro fisiológico e podemos utilizar umidificadores de ambiente.

LAVAR AS ROUPAS DE INVERNO ANTES DE USAR: É fundamental para removermos o pó e os ácaros acumulados pela armazenagem das roupas.

USO DE PEÇAS DE ALGODÃO EM CONTATO DIRETO COM A PELE: Uma estratégia para evitarmos a irritação direta das roupas de frio felpudas sobre a pele é vestirmos uma blusa de mangas longas feita de algodão como primeira peça de roupa. Isso porque é um tecido que deixa a nossa pele “respirar” e absorve o nosso suor. Além de dar um toque mais agradável, é mais fácil de ser lavado e secado.

dra. alexandra nishida

0 comentários

deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *