Loading...

blog / Cotonicultores brasileiros apostam em ações solidárias para combater a pandemia

por dentro do movimento | 16 de abril de 2020 | 0

Enquanto se esforçam para garantir abastecimento, cotonicultores brasileiros dão as mãos na prevenção e combate à Covid 19 em suas regiões. 

Se, durante o início da quarentena, o grande medo dos brasileiros era o desabastecimento de supermercados, o temor não se concretizou. E isso só foi possível por conta do esforço de produtores rurais de todos os setores, incluindo os cotonicultores. Uma informação importante é que, no Brasil, fazendas de algodão também produzem alimentos para pessoas, e insumos para a nutrição animal. Essa diversidade na produção é a base do modelo brasileiro de cotonicultura sustentável. 

Devido às circunstâncias, os cuidados com higiene e distanciamento pessoal foram redobrados na área rural para que o trabalho continuasse com a diminuição dos riscos de contágio da Covid-19. E mesmo com esta nova dinâmica de atuação, o impacto na cadeia do algodão também foi sentido, já que a pandemia afetou a produção em todos os estados brasileiros. 

 Solidariedade que vai além 

Entendendo que o momento é de emergência e que evitar um colapso no sistema de saúde é uma necessidade, os cotonicultores não apenas estão tentando se adaptar, como também estão contribuindo para combater a Covid-19. Eles também se dedicam no momento ao auxílio a hospitais nas comunidades em que atuam, com a doação de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de aparelhos utilizados nos centros de terapia intensiva. 

 Depois da indústria têxtil se mobilizar com a fabricação e doação de máscaras, confira abaixo as principais atuações solidárias dos cotonicultores nos estados brasileiros.  

 Mato Grosso  doação de alimentos, equipamentos e respiradores 

Dentre outras ações, a Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão e seus associados)estão importando, diretamente da China, 920 mil máscaras de proteção e outros materiais utilizados pelos profissionais de saúde. Foram adquiridos também 2 mil escudos faciais, 4 mil roupas protetivas e cinco mil óculos de segurança.  

Parte dessas aquisições já está a caminho do Brasil, em diversos lotes. A associação recolheu todas as máscaras que havia nas algodoeiras e as doou para os hospitais. Entre as várias empresas do agro que estão fazendo a sua parte no estado, a Scheffer doou 34 respiradores hospitalares para auxiliar prefeituras municipais no atendimento aos casos de coronavírus. Já o Grupo Amaggi anunciou a doação de 50 mil cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade social, e o grupo O Telhar, também instalado em Mato Grosso, doou 500 máscaras para a secretaria municipal de saúde de Santo Antônio do Leste. 

Bahia – apoio financeiro em boa hora 

Os produtores rurais baianos, por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), já destinou R$ 500 mil para a compra de insumos e EPIs, doados às secretarias de saúde dos municípios ligados à atividade agrícola na região, como Baianópolis, Barreiras, Correntina, Cocos, Jaborandi, Formosa do Rio Preto, Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves, São Desidério e Wanderley. A associação também entregou álcool em gel, toalhas e lençóis descartáveis, e também vai destinar em torno de R$ 100 mil para aquisição de toalhas 100% algodão, que serão entregues ao Governo do Estado, para os hospitais e unidades hospitalares em toda a Bahia.  

 Abapa também vai investir cerca de R$ 370 mil na aquisição de equipamentos e insumos para a instalação de um laboratório de testagem para Covid-19 pela Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB). O laboratório, depois de passada a fase da pandemia, será utilizado pela UFOB para a identificação e testes de outras doenças e patologias, como dengue, chicungunya e zika. 

Goiás – apoio ao Estado e ONG’s locais 

Em Goiás, a Associação Goiana de Produtores de Algodão (Agopa), o Instituto Goiano de Agricultura (IGA) e o Fundo de Incentivo à Cultura do Algodão em Goiás (Fialgo) fizeram repasse de recursos ao Governo do Estado para combate ao coronavírus. Através da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), eles doaram R$ 100 mil para a compra e importação de equipamentos e insumos para o combate à pandemia.  

Diversos produtores rurais goianos também têm se mobilizado para ajudar por conta própria, com recursos que estão sendo destinados a prefeituras, creches e outras instituições que necessitam de apoio, em suas regiões de atuação 

Mato Grosso do Sul – Respiradores e equipamentos de proteção 

A Associação Sul Matogrossense dos Produtores de Algodão (Ampasul) mobilizou seus associados e doou dez respiradores para hospitais do estado. Sete desses equipamentos foram doações diretas por cotonicultores. Para viabilizar a doação dos aparelhos, a Ampasul se uniu ao projeto Mãos Solidárias. A entidade cedeu, diretamente aos hospitais de Chapadão do Sul e Costa Rica, 60 macacões de isolamento e duas mil luvas de procedimentos, para minimizar os efeitos da Covid-19 

Diante deste cenário de incerteza, a solidariedade se faz cada vez mais presente nas ações de pessoas físicas, instituições e associações como a Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão).

E você, conhece alguma outra ação filantrópica neste período de pandemia dentro do mundo agro? Conta pra gente aqui nos comentários ou via nossos canais digitais! 

0 comentários

deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *