Loading...

blog / Por que a fibra de algodão é a queridinha do nosso guarda-roupas? 

algodão & sustentabilidade | 25 de setembro de 2020 | 0

Uma das matérias-primas mais famosas para a confecção de vestuário e têxteis do lar, o algodão, não tem essa fama de queridinha à toa: todo mundo ama roupa de algodão! E essa preferência deve-se a alguns atributos específicos que só ela tem 

Por exemplo, as fibras de algodão são hidrofílicas, ou seja, têm excelente capacidade de absorção de umidade. Roupas de algodão absorvem suor, mantendo, assim, um maior conforto térmico e possuem também baixa tendência a reações alérgicas e toque macio a pele. 

O algodão é proveniente de uma planta classificada na ordem das Malváceas sob o nome de Gossypium e é gerado ao redor das sementes do algodoeiro. Sendo assim, trata-se de uma fibra natural de origem vegetal, que se desenvolve principalmente em regiões tropicais e subtropicais dos continentes asiático, africano e americano. 

Uma breve história do algodão  

No Brasil, os índios já conheciam o algodão e dominavam o seu plantio mesmo antes do descobrimento do país pelos povos europeus, sendo capazes de colher, fiar, tecer e tingir tecidos feitos com suas fibras. Eles transformavam o algodão em fios para utilizar na confecção de redes e cobertores, aproveitavam a planta na alimentação e usavam suas folhas na cura de feridas. A produção comercial do algodão começou nos estados da Região Nordeste e o primeiro grande produtor foi o Maranhão que, em 1760, exportou para a Europa os primeiros fardos do produto. 

O tipo e a maturidade são os principais parâmetros que definem as propriedades dessa fibra, sendo que o tipo está diretamente relacionado com a cor e o grau de impurezas presentes no algodão (cascas, ganhos, areia, barro), já a maturidade indica a espessura da parede celular em relação ao diâmetro da fibra. Essa maturidade está diretamente ligada a resistência da fibra e sua capacidade de ser fiada e tingida. Quando comparado a outros materiais, é mais resistente e mantém a qualidade mesmo após a utilização da máquina de lavar ou do ferro de passar roupa. 

Olhando a fibra mais de perto 

Detalhe microscópico dos diferentes fios de algodão

O comprimento da fibra é um fator importante na obtenção de fio resistente e é de máxima importância na sua capacidade de ser fiado, ou como é conhecido tecnicamente, na sua fiabilidade. Seu comprimento influencia ainda na regularidade da distribuição das fibras, sendo as fibras mais longas são as que se acomodam melhor à torção do fio e produzem fios com menor pilosidade. Menos pilosidade significa uma menor probabilidade de formar neps, as famosas bolinhas. 

A fibra de algodão é constituída em cerca de 90% a 93 % de celulose, sendo a maior parte restante constituída por ceras, gorduras ou minerais. A resistência das fibras celulósicas é influenciada pelo seu arranjo molecular.  

Apesar de durável, fresco, altamente absorvente e fácil de lavar, os produtos fabricados com fibras de algodão amarrotam com certa facilidade, tem tendência ao encolhimento e ao desbote de cores. E, por ser uma fibra natural, pode ser atacado por fungos e mofos, se armazenado em locais úmidos e escuros. 

Os tecidos fabricados com algodão, são conhecidos comercialmente pelo tipo de fiação usadna obtenção do fio, sendo: 

Cardados: Geralmente compostos de algodão de qualidade média a baixa, fibras mais curtas e com aproveitamento de 85 a 90% das fibras. Este fio é obtido em fiações convencionais como fiação de anel e open-end. Usado na confecção de malhas para t-shirts e tecidos como chita. 

Penteados: Utilizam algodão de boa qualidade e de fibras mais longas, com 75 a 80% de aproveitamento das fibras. O processo de fiação é mais longo (inclui o processo de penteagem) e os títulos dos fios, geralmente finos, encarecem o produto. É usado na confecção de malhas para t-shirts e tecidos mais nobres como tricolines e lençóis. 

Mercerizados: O processo de mercerização consiste em um banho de solução de soda cáustica que confere aspecto sedoso, liso e brilhante, além de ter sua resistência aumentada e cores mais brilhantes e vivas. Pode ser do tipo cardado, mas usualmente é um processo feito nos fios penteados. Usado na confecção de tecidos mais nobres como tricolines e lençóis. 

Por essas características, o algodão é o queridinho do nosso guarda-roupas, presente não só nas peças que usamos diariamente, mas também em lençóis, toalhas de banho e outros produtos do dia dia a dia. Atualmente, a planta do algodão é utilizada em sua totalidade, desde as fibras mais acessíveis, às fibrilas em volta do caroço para a fabricação de fibras artificiais, passando pelo uso de seu óleo em cosméticos e sua semente na alimentação de animais. 

Foto abertura: Sapotis, marca parceira Sou de Algodão

 

Referências 

https://ampa.com.br/historia-do-algodao/ 

https://blog.lartex.com.br/fibra-de-algodao/ 

https://www.embrapa.br/algodao/historia 

https://fcem.com.br/noticias/diferencas-entre-os-tipos-de-tecidos-e-fibras/ 

http://sistemafamasul.com.br/algodao-a-fibra-mais-usada-no-mundo/ 

https://www.testextextile.com/pt/o-que-%C3%A9-a-maturidade-das-fibras%3F-Quais-fatores-contribuem-para-a-maturidade-das-fibras-t%C3%AAxteis%3F/ 

0 comentários

deixar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *