Loading...

blog / O que é Blockchain e como essa tecnologia está revolucionando o consumo de moda no Brasil

algodão & sustentabilidade | 6 de outubro de 2021 | 0

SouABR é uma iniciativa inédita no país que rastreia a produção de roupas desde a lavoura de algodão até o varejo através de Blockchain. Entenda como esta inovação colabora para uma nova era no consumo responsável 

Outubro de 2021 marca uma importante inovação no mercado têxtil brasileiro: o lançamento do programa SouABR, uma iniciativa inédita que permite ao consumidor conhecer todas as etapas e empresas envolvidas na produção da roupa comprada no varejo. O rastreamento mostra por onde passou a matéria prima com origem certificada pelo programa socioambiental Algodão Brasileiro Responsável (ABR). Por meio da tecnologia Blockchain e através de um QR Code, o cliente acessa, pelo celular, um sistema exclusivo em que constam dados da fazenda certificada ABR que produziu o algodão daquela roupa, a fiação, a tecelagem ou a malharia, a confecção e a marca que a comercializou. 

Esta rastreabilidade contribui para relações transparentes na cadeia produtiva e permite que o consumidor faça escolhas mais conscientes e que tenham impacto positivo nos três pilares da sustentabilidade: econômico, ambiental e social. 

SouABR levou cerca de três anos para ser colocado em prática como projeto piloto no Brasil e é uma iniciativa da Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa), através do movimento Sou de Algodão. A primeira varejista parceira nesta empreitada é a Reserva. 

E, para que a rastreabilidade total fosse possível, a tecnologia Blockchain foi imprescindível. Veja abaixo como ela possibilita relações mais justas e transparentes de consumo, garantindo a transparência em todos os elos da produção. 

Site souabr.info, que reúne informações sobre o algodão certificado e o projeto de rastreabilidade.

O que é Blockchain? 

Blockchain é uma tecnologia utilizada amplamente para modelos de negócios onde sejam necessárias a descentralização de dados e confiança mútua entre as partes envolvidas. Por isso, é muito comum vermos este sistema aplicado ao mercado financeiro. Este, inclusive, foi o universo que popularizou o Blockchain, com o surgimento e expansão da moeda virtual Bitcoin.  

Porém, é possível utilizar esta tecnologia em vários outros segmentos, como o agronegócio, indústria de alimentos, entre outros, com dados acessíveis por um programa de computador. 

Perguntamos para o co-fundador da Ecotrace, Eric Luque, como poderíamos definir o que é Blockchain para o público leigo. Ele exemplificou: “imagine um extrato bancário. Você tem 100 reais, gasta 10 e fica com 90 reais. Depois gasta mais 50 e fica com 40 reais. Aí você ganha 100 reais e fica com 140 reais. O que interessa, na verdade, é o resultado final, ou seja, os 140 reais. Entretanto, você fica com todo o histórico de quanto tinha em cada passo e isso nunca é removido do sistema. Assim é como o Blockchain trata os dados. Você sempre tem o último dado de valor na tela do seu computador, mas nunca deixa de ter o histórico dele”. 

Segundo Luque, quaisquer modificações que ocorram em algum destes processos, ou novas etapas inseridas, serão visualizadas e armazenadas digitalmente por todas as partes que tiverem acesso ao sistema. Ou seja, trata-se de uma cadeia de informação totalmente transparente, com dados rastreáveis e confiáveis.  

Tags que identificam as peças rastreáveis da Reserva.

Como o Blockchain foi aplicado para rastrear peças de roupas no Brasil? 

Dentro do programa SouABR, o Blockchain é a principal ferramenta que possibilita o rastreamento completo da cadeia produtiva. Acessível para o cliente final, o sistema digital garante que a peça comprada é feita com algodão cuja produção respeita contratos trabalhistas e se preocupa com o impacto no meio ambiente.  

O projeto SouABR é inovador e pioneiro no Brasil porque é o único, até o momento, que permitiu a rastreabilidade do algodão utilizando esta tecnologia. Para Luque, este é um passo para o futuro das relações de consumo, pois entrega ao consumidor o que ele mais procura: transparência e garantia de origem da matéria prima do produto que ele está comprando. “O Blockchain está ali controlando os dados para que não haja dúvidas de sua origem”, diz.  

Para Luque, o Blockchain é uma tecnologia que rompe modelos seculares que centralizam e monopolizam os dados nas mãos de poucos, prevenindo fraudes e levando mais confiança aos dados inseridos. “Fora a agilidade dos negócios que serão feitos de forma mais automatizada em todos os elos das cadeias”. 

Como comprar uma roupa rastreável do SouABR 

Camisetas de malha serão as primeiras peças rastreáveis do programa SouABR | Foto: divulgação

A partir de outubro de 2021, a Reserva será a primeira marca de roupas a participar do programa SouABR, como projeto piloto desta nova tecnologia. Os produtos rastreáveis neste primeiro momento serão camisetas masculinas de malha, seguidas futuramente de camisas e calças jeans.  

As peças estarão disponíveis nas lojas físicas da Reserva ou via e-commerce, já com o QR Code nas tags. O cliente, ao perceber que a peça possui a indicação de rastreabilidade, pode apontar a câmera do seu celular para o QR Code e acessar uma página exclusiva, onde estarão listadas todas as empresas que participaram da produção daquele item, desde a fazenda, até a loja, passando pela fiação, tecelagem ou malharia e confecção.  

“Neste início estamos trabalhando com quantidades pequenas de peças rastreáveis, mas a tendência é que, daqui pra frente, todos os nossos produtos entrem no programa e estejam disponíveis no varejo, no atacado e nas filiais”, afirma Claudia Moraes, da Reserva.  

A partir de 2022, a Renner também entra no programa SouABR com uma coleção feminina. 

 

 

0 comentários

deixar um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *