Moda

Martha Medeiros – A renda que gera renda.

A renda que gera renda, e gira o círculo virtuoso da sustentabilidade:
Martha Medeiros, a dama das rendas valoriza o algodão nacional e leva
a beleza de Maceió para o mundo.

 Ser luxo brasileiro é ser sustentável, com algodão 100% nacional!

renda que gera renda

Ela é irreverente e se autodenomina “Luxo Brasileiro”. Sua energia contagiante mostra o brilho que tem, e a magia de transformar a simplicidade do artesanato do Nordeste em produtos de desejo, que vestem mulheres no mundo todo. Não falamos apenas em agregar imenso valor à arte, mas na generosidade de desenvolver uma comunidade e garantir a sustentabilidade, proporcionando independência às mulheres que fabricam as rendas que se transformam nos mais lindos e delicados vestidos fabricados com fios 100% algodão. 
A Moda está na alma de Martha Medeiros desde a infância. Diz que, aos 8 anos, iniciou sua carreira de estilista, fabricando roupas para bonecas, e vendendo em uma tradicional feira de artesanato de Maceió (Alagoas).
Formada em Economia e Direito, diz, entre risadas, que sua breve passagem pelo setor econômico deu-se quando trabalhou no Banco do Brasil, mas garante que o que fazia de verdade era vender roupas no banheiro da instituição. Criar peças era  paixão tamanha para ela, que decidiu estudar Moda em São Paulo e, assim que se formou, voltou para Maceió e abriu sua primeira loja, iniciando, assim, uma importante, respeitada e bem-sucedida atividade no mundo das roupas feitas sob medida. Aos poucos, expandiu seus negócios e, há quase nove anos, com loja própria em São Paulo, Martha é reconhecida por transformar vestidos em arte usando renda nordestina, fabricada com algodão 100% nacional. “Meu gosto pela renda vem desde muito pequena. Em Alagoas a gente nasce vendo as mulheres fazer renda.”
Suas viagens pela Europa têm, geralmente, o objetivo de resgatar pontos de rendas que não são mais usados, a fim de aplicá-los em suas peças e difundi-los entre as rendeiras que trabalham para ela. Recentemente, apresentou em Nova York uma coleção chamada “Sertões”, composta por camisas de tricoline, fabricadas com algodão 100% brasileiro, com sobreposições de renda renascença. “Foi o maior sucesso! Agora vou lançar em Los Angeles e, no dia 22 de agosto, em São Paulo”, conta.
Martha Medeiros é embaixadora de Sou de Algodão, e se identificou com o movimento desde o princípio. É apaixonada pelo algodão, a matéria-prima de suas criações, que move o seu projeto social junto à comunidade local. As oportunidades em que esteve presente nos eventos do setor algodoeiro, a convite do movimento, apenas serviram para aumentar ainda mais seu engajamento e, corando esta parceria, Sou de Algodão apresenta, junto com a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), o book de sua mais recente coleção.

De Maceió para o mundo: a arte do algodão transpondo fronteiras e virando objeto de desejo de pessoas em todos os destinos.

 Atualmente, Martha conta com 5 lojas próprias e outros 14 pontos de venda, e comercializa suas peças em 170 países. A estilista leva o trabalho artesanal das rendeiras nordestinas para todos esses destinos, e a renda que gera renda transforma suas vidas, ajudando-as a conquistar autonomia. “Nós conseguimos dar dignidade e empoderamento a elas, por meio da independência financeira”, explica. Em diferentes cidades do interior alagoano, Martha mantém mais de 400 mulheres produzindo renda para a marca, e é com o salário dessa produção que elas sustentam suas casas.


Sustentabilidade e economia criativa: devolvendo à sociedade o valor que as mãos das rendeiras proporcionou.

A aposta da estilista no mercado de renda artesanal e na economia criativa vai além da moda. Depois do projeto social “Olhar do Sertão”, que presta assistência às rendeiras e suas crianças, e é financiado com palestras que Martha faz, em 2018, ela inaugurará a Escola de Renda, na cidade de Piranhas, a 280 km de Maceió. Mais que ensinar a fazer renda, a escola será um local para informar como rentabilizar obras. “Nossa ideia é mostrar a todas as pessoas que fazem algum trabalho manual como agregar valor a suas peças.”  Muitas de suas rendeiras estão na universidade, ou já possuem curso superior. Sempre que possível a estilista também leva rendeiras em suas viagens ao exterior, com o intuito de promover troca de conhecimento. 
Sobre sustentabilidade, é taxativa: diz que não quer de jeito nenhum produzir lixo e acredita que as pessoas estão mais conscientes e buscando qualidade. “Eu tenho certeza que hoje as pessoas querem mais ‘ser’ do que ‘ter’. Estão se colocando em primeiro lugar. A pessoa não quer usar uma roupa que a deixe morrendo de calor, ela quer uma roupa que pareça um abraço, por isso acredito que ela quer uma camisa de algodão”, afirma.
Para ela uma empresa não pode só ser “fazer roupa, vender roupa”, é preciso ter uma preocupação social e com o ambiente.



É preciso refletir sobre o comportamento de consumo: uma volta ao natural é essencial.

 O mundo da moda é muito exigente e competitivo, mas, na opinião da estilista, fazer roupa é uma arte de várias etapas, que vai desde o tecido que você usa até a responsabilidade ambiental da peça pronta, e ela vê esse pensamento como uma tendência mundial. Acredita que o uso do algodão será cada vez mais difundido: “As pessoas estão buscando uma vida melhor, mais natural. Eu acho que o algodão é uma escolha consciente e a pessoa sabe o que está comprando.”
Ela ainda acredita que é necessário reforçar os benefícios e atributos da fibra para incrementar o seu uso na moda, mostrar, por exemplo, como uma camisa feita de algodão é maravilhosa, confortável. Além disso, avalia que é preciso conscientizar o consumidor sobre suas escolhas, e o impacto do seu consumo na natureza, quanto descartado. Como ninguém, ela sabe que é possível associar beleza e elegância num vestido de algodão, e usa a beleza que vem da natureza para criar as peças que transmitem a ideia de moda nova, contemporânea e eterna. Para ela, o algodão é o melhor tecido para modelar, costurar, e para não ter problemas com clientes.

Martha Medeiros é embaixadora do movimento Sou de Algodão, é Luxo Brasileiro, e a sustentabilidade está na alma de suas criações. A Moda e o mundo agradecem!

 

Fotos: Acervo Martha Medeiros