Qual legado iremos deixar para o futuro? Essa é uma das perguntas que determinam o foco de atuação da Urbano Têxtil.

Preocupada com os impactos de agora e seus reflexos futuros, a empresa têxtil prioriza a sustentabilidade em sua linha de produção e, cada vez mais, busca formas sustentáveis de fazer e comercializar malhas. Suas coleções já contam, inclusive, com tecidos confeccionados a partir de fios de garrafas PET recicladas.

O algodão como matéria-prima principal é a primeira das escolhas que priorizam o meio ambiente na empresa. Aline Franzner, gestora da unidade Urbano Têxtil, explica que 75% dos tecidos desenvolvidos pela marca são feitos em 100% algodão. “É uma fibra da natureza e, além disso, todos os nossos fornecedores de fio têm certificação”, ela enfatiza.

A empresa entendeu, porém, que apenas essa escolha não seria suficiente para participar da mudança que acredita. “É uma busca por perenidade. Não só da empresa, mas do mundo, como um todo. Não é possível consumir recursos com a ideia de que eles são infinitos, porque nós sabemos que não são. Por isso, buscamos trabalhar a conscientização”.


Tecidos de fio PET

Os funcionários que atuam na produção são orientados a trabalhar com controle da água, a empresa prioriza produtos químicos que causam menor degradação do meio ambiente e, recentemente, incorporou fios feitos com reaproveitamento de garrafas PET na produção de seus tecidos. Essa malha sustentável leva, assim, 50% de algodão e 50% de fios PET.

Pesquisas mostram que uma garrafa PET leva mais de 400 anos para se decompor. Dados da Associação Brasileira da Indústria PET (Abipet), divulgados em 2016, revelam que o Brasil deixa de reciclar cerca de 50% das garrafas PET que utiliza ao ano. Em 2015, a porcentagem de garrafas não recicladas representou cerca de 270 mil toneladas.

A necessidade de reutilização assim, mais que necessária, é essencial.

Anderson Markenwski, gestor comercial da marca, conta que hoje a Urbano tem dois produtos feitos com o fio reciclado: meia-malha e moletom. Com o primeiro os clientes podem fabricar peças de roupas diversas, com tons mesclados que resultam da mistura entre o PET e o algodão. O segundo é a matéria base de bermudas, calças e agasalhos.

A Urbano tem planos futuros com essa combinação ecológica. Anderson explica que está em busca de parcerias com escolas para a confecção de uniformes. “Seria muito importante que as escolas olhassem para essa questão, ensinando as crianças a usar produtos sustentáveis”, ele alerta.


Conscientização

Plantar nas crianças a semente da conscientização é, inclusive, um dos focos da empresa. Wistheimer Valadares, gestor comercial, conta que as ações com a comunidade são frequentes. Para comemorar o Dia da Árvore, por exemplo, a Urbano convidou crianças a visitarem a fábrica e conheceram como são feitos os tecidos, a partir da sustentabilidade.

“Acreditamos que a criança é um multiplicador, levando o que aprende para os pais, a família e compartilhando essa ideia”, ressalta Aline, gestora de unidade da Urbano Têxtil.

Os adultos não ficam de fora das ações, porém. As cartelas de cores, que são enviadas aos clientes duas vezes ao ano, com amostras dos tecidos a serem encomendados, agora acompanham um QR Code, por meio do qual o cliente pode acessar virtualmente informações sobre as coleções. Aline acredita que, dessa forma, é possível promover uma mudança de postura, já que as cartelas, após usadas, se transformam em lixo. “Reduzir a impressão é uma maneira de economizar papel e tecido, além de promover uma mudança na forma de consumo.”

Para Aline, todas essas atitudes fazem parte de um grande objetivo. “Nós refletimos: de que forma nosso trabalho pode contribuir com algo novo, que ajude a transformar os olhares?”, ela questiona. Os frutos dessa postura servem não só para a empresa e seus clientes, mas para toda a comunidade!


Empresa em crescimento

Reconhecido pela produção de grãos, como arroz e feijão, o grupo Urbano entrou no setor têxtil em 2011 com a compra da fábrica de malharia, em Santa Catarina.

No começo a empresa funcionava como prestadora de serviços, com o tingimento e beneficiamento de malhas. A partir de 2013 a Urbano Têxtil começou a produzir seus próprios tecidos, levando para o vestuário a máxima que garante sucesso no setor alimentício. “Nosso objetivo era fazer uma malha básica, tão reconhecida quanto feijão com arroz bem-feito”, nas palavras de Aline.

Cumpriram a primeira meta, tornaram-se reconhecidos por ela e, a partir de 2018, passaram a inovar a coleção com fios diferenciados. O processo de produção, no entanto, se manteve o mesmo: “Fazemos produtos diferenciados, dentro da nossa capacidade. Somos reconhecidos como uma das melhores escolhas dos clientes, com qualidade do produto, do serviço e do atendimento”, Aline ressalta.

Recentemente, além de vender para todo o Brasil, a empresa passou a exportar seus produtos e espera continuar crescendo. “Nós temos um crescimento acima da média do mercado e queremos mantê-lo”, afirma Anderson.

A atenção às necessidades dos clientes é um dos ingredientes para esse sucesso. “Nós buscamos criar parcerias com os clientes. Problemas vão acontecer, mas nós queremos mostrar que estamos com eles e podemos ajudá-los a otimizar seus recursos”, finaliza Aline.