“A gente não vê o tempo passar quando faz o que ama!”

A primeira frase de Angela Steffens, coordenadora de desenvolvimento da Malhas Menegotti, dá o tom de toda a conversa. Há quase 23 anos na empresa, ela continua apaixonada pelo que faz. Garante que essa mesma paixão contagia a grande equipe responsável pelo desenvolvimento na Menegotti.

São 1.400 toneladas de malhas produzidas ao mês e comercializadas no Brasil e Mercosul.

O Grupo AMC Têxtil é considerado o maior gestor de marcas da América do Sul, composto por Malhas Menegotti, Colcci, Forum, Tuffi Duek, Triton, Sommer e Coca-Cola Clothing.

“Nós iniciamos com o objetivo de produzir matéria-prima de qualidade para os confeccionistas, e logo fizemos diferença no mercado. É uma história linda. Um trabalho em família. Quem trabalha aqui é comprometido com a filosofia da empresa”, Angela ressalta.

Há 38 anos no mercado, a empresa têxtil desenvolve moda sustentável e tem “alma colorida”, investindo em tecnologia e inovação com muita criatividade.

Uma empresa familiar, sólida e jovem, que tem em seu DNA o aprimoramento constante em sustentabilidade, com foco no comportamento humano, incentivando as pessoas no aperfeiçoamento pessoal e profissional constante.

História de família

A Malhas Menegotti foi criada em 1980, com o olhar empreendedor de Cecília Rubini Menegotti, que percebeu uma lacuna no mercado de confecções em Santa Catarina.

Ela, que era professora, nunca havia atuado no setor têxtil, mas, pela vontade de ter horário flexível para estar mais perto dos filhos, decidiu unir forças com o marido contabilista na abertura do próprio negócio. Deu muito certo!

No início os serviços de facção e tingimento eram terceirizados, mas já em 1986 houve a compra dos três primeiros teares. “A partir desse momento realmente começamos a fazer a diferença. Passamos a comprar nosso próprio fio e era possível avaliar a qualidade, algo que primamos até hoje”, explica Angela.

Já em 1987 mudaram a unidade fabril para a localização atual, em Jaraguá do Sul, e ano a ano foram colhendo conquistas. Aumentaram a produção para 50 toneladas ao mês.

Em 1991, por exemplo, a empresa passou por um grande boom com a aquisição de teares novos, que possibilitaram a otimização da produção com malhas mais largas (90 cm), que evitavam as perdas na confecção.

Em 1995, então, a marca já produzia 450 toneladas de malhas ao mês.

Em 2000, com a compra da marca Colcci, fundaram o grupo AMC e a empresa passou a investir também na confecção, destinando parte da produção de malhas para suas marcas. O nome do grupo é composto pelas iniciais dos familiares, administradores do negócio.

A busca contínua de inovação em novas máquinas, processos, matérias-primas e investimentos levou, em 2018, à finalização da substituição de todas as máquinas de tingir por máquinas mais modernas e sustentáveis, diminuindo em 50% o consumo de água para cada 1 kg de malha:

  • Antes 1 kg de malha consumia 12 litros de água;
  • Agora 1 kg de malha consome 6 litros de água (metade!).

O processo de lavação do tingimento também recebeu investimentos.

“Em 2018 adquirimos uma moderna lavadora contínua que, na etapa final do processo de tingimento, neutralização da lavação, é capaz de ser ainda mais eficiente que a relação já reduzida de 1:6 que ocorreria no processo descontínuo de tingimento. Inclusive, no 2º semestre de 2019, estará em operação um segundo equipamento deste de lavação contínua”.

Sustentabilidade no DNA

Entre os diferenciais da Malhas Menegotti está a sustentabilidade como base da produção. Angela ressalta que a empresa já era sustentável quando o tema ainda não havia se popularizado no Brasil.

Desde 1999 a empresa coleta e trata água do rio para seu uso, além de tratar a água utilizada antes de devolver aos afluentes. A economia do líquido também é uma realidade atingida com investimento em tecnologia.

Em 2006 foi alterado o consumo da matriz energética para a Biomassa, que consiste basicamente em cavaco de madeira proveniente de materiais reciclados de pellets, embalagens e sobras da construção civil, além de sobras da indústria madeireira sem valor comercial, vindos de reflorestamento de pinus/eucalipto.

Este combustível é uma fonte de energia limpa e renovável que ajuda a diminuir as emissões de gases nocivos na atmosfera.

A troca fez com que ela gerasse créditos de carbono com o projeto PROSUBIO-AMC, e passasse a fomentar a redução na emissão de gases de efeito estufa na região.

A escolha do algodão como principal matéria-prima, além do conforto e qualidade da fibra, confere ao confeccionista a possibilidade de saber a origem do algodão que é certificado (BCI), para levar ao cliente um produto com procedência.

O novo projeto, que já está implantado, é o processo ECO NATURE – onde é utilizado algodão certificado, que recebe a preparação com detergente feito a partir do óleo da casca da laranja, tingimento contendo corantes naturais e acabamento com amaciante proveniente da casca do arroz.

Andreia Peters, que também atua no desenvolvimento de produtos, ressalta que a empresa tem, ainda, um comitê que cuida das questões da sustentabilidade. “O impacto dos exemplos a respeito de sustentabilidade vão além dos limites da empresa. Os funcionários levam isso para suas casas e nossas ações acabam influenciando a cidade”, ela ressalta. “Ser sustentável vai além do dia a dia. Está no nosso DNA”, complementa.

Moda na base

Criar e pensar moda é o cotidiano da Malhas Menegotti. Andreia ressalta o slogan da marca: “Moda é o ar que respiramos!”.

A empresa investe muito em desenvolvimento de produtos e nossos profissionais estão constantemente buscando inovações em processos e produtos através de viagens e pesquisa pelo mundo todo em busca de inspiração.

“O que nos move é olhar o que está acontecendo no mundo e trazer para o Brasil, focando nos nossos clientes e criando o que eles desejam”, diz Angela.

A essência da Menegotti é criar, lançar o novo.

“Fazer moda é uma história de construção contínua. É o ar que respiramos!”