Processo de fabricação dinâmico atende aos anseios de todos os tipos de clientes.

A trajetória da Santana Textiles no universo dos tecidos começou em 1963, quando seu fundador, Raimundo Delfino, decidiu empreender no segmento de redes, na cidade de Jaguaruana, interior do Ceará. Desde então a empresa iniciou um profundo processo de crescimento e hoje possui três unidades industriais ativas: em Horizonte (Ceará), nos EUA e na Argentina, além do escritório administrativo que está localizado em Fortaleza (CE) e uma unidade do Rio Grande do Norte que está com previsão de voltar a rodar ainda este ano.

Com um amplo portfólio de produtos, a Santana trabalha especialmente com o denim, que se divide em 60 artigos diferentes, desde artigos rígidos até opções elastizadas. “Oferecemos produtos mais leves, para a fabricação de camisarias mais delicadas e também opções do denim mais robusto. Temos opções de tingimento baby blue, azul mais intenso e black. Desta forma atingimos todos os públicos: feminino, masculino e infantil”, explica Airam Pagliosa, Coordenadora de Produtos e Marketing da Santana.

Nos últimos anos, a empresa tem investido muito em maquinário de alta tecnologia e em capacitação de sua equipe, com foco no controle dos processos para oferecer, cada vez mais, um produto com o melhor custo/benefício. “Nosso lema é fabricar o denim líder em qualidade”, ressalta Airam.

A comercialização dos tecidos segue a demanda do mercado e o algodão é a principal matéria-prima da empresa. As peças têm, em média, 80% de algodão em sua composição. Geralmente, entre o final de um ano e o início do outro, acontece a maior venda dos tecidos 100% algodão, pois a produção das confecções está concentrada nas peças de verão, como shortinhos e peças mais leves. Nas outras épocas do ano cresce a procura por tecidos que levam mais elastano. “Temos notado o aumento da procura por este tecido, de maneira geral, mas especialmente pelo público masculino”, explica Airam.


Rapidez nos lançamentos

Sempre atenta às demandas do mercado, a Santana possui uma diversidade de tecidos super stretch e tingimentos inovadores. Um dos destaques são os tecidos elaborados com a inserção de uma trama de poliéster preta. “Normalmente o fundo da trama do denim é branca. Com a inserção da trama preta conseguimos oferecer um produto com uma cor diferenciada”, ressalta a coordenadora.

Por conta do imediatismo trazido pela internet, a Santana não trabalha com lançamento em datas determinadas. Airam conta que a empresa precisa criar novos produtos quase que mensalmente. Muitas vezes a demanda chega pelas confecções instaladas em feiras. Caso uma nova peça ganhe destaque, por meio de uma blogueira ou atriz de novela, na mesma semana essas confecções já precisam atender aos anseios dos consumidores. Desta forma, o processo de fabricação dos tecidos precisa ser muito dinâmico.


Compromisso com o meio ambiente

A Santana tem um compromisso com a preservação do meio ambiente em toda a sua cadeia produtiva, desde o descarte das impurezas retiradas no algodão até os processos de lavagem. Airam explica que a empresa não produz nenhum tecido com material reciclado, mas revende os resíduos de fios para empresas que atuam na fabricação de outros produtos, como na fabricação de redes, por exemplo. O mesmo acontece caso haja alguma irregularidade no tingimento dos fios. Se eles não estiverem de acordo com os padrões de qualidade da empresa, são repassados a fabricantes de outros produtos. Também utiliza a caldeira com uso de biomassa e lenha de manejo sustentável.

Como a produção de denim requer um alto consumo de água, a empresa possui Estação de Tratamento de Efluentes, seguindo os parâmetros exigidos pelas normas ambientais, assim como em todo o seu processo produtivo.

Além dos investimentos no processo produtivo, lançaram uma Linha de Tecidos com baixo percentual de corante índigo, reduzindo em 85% a quantidade de corante e 50% o consumo de água.

Tradição na fabricação de tecidos

A Santana foi fundada em 1963 por Raimundo Delfino, e já está na terceira geração de administradores. Na década de 70, a empresa que nasceu fabricando redes se tornou a Fiação Santana e passou a produzir os fios open-end, com processo produtivo mais curto e rentável.

Na década de 90, a Santana passou a produzir o denim. Atualmente produz 3,5 milhões de metros de tecido por mês apenas na Unidade de Horizonte. Tem atuação muito forte no Nordeste mas vende para o Brasil todo, com destaque para São Paulo, Paraná e Santa Catarina.