Se fosse uma construção, a Casa Charllô teria varanda florida, muitas cores por todo o lado e cheirinho de café constante na cozinha!

O showroom da marca, localizado em Viçosa (MG), foi criado com esses moldes de aconchego. E os produtos desenvolvidos pelas amigas Lili e Fabi são feitos para quem quer cama que abraça, sofá que acomoda, mesa que convida sempre a se sentar, tomar um café e bater um papo.

Porque surgiu assim, de muita conversa e parceria, e com muitos cliques coloridos e vivos, essa marca tem como slogan: “Vida real cheia de cor”.

Lili Mafra, 40 anos, acabara de se mudar para Viçosa (MG). Fabi Salomão, 42, já morava na cidade havia um tempo. Quis o acaso – ou o destino – que fossem vizinhas.

Entre uma conversa e outra, Lili, que é fotógrafa, pediu para a amiga tentar umas fotos. Fabi gostou, se especializou e as duas se tornaram sócias na fotografia, cinco anos atrás.

Com a empresa Tempo de Foto, registraram momentos importantes de famílias, negócios, histórias.  Entre os trabalhos, aqueles feitos para arquitetos e designers de interiores se repetiam. Foi surgindo ali, entre um clique e outro, o gosto das duas por decoração.

“Se não fosse a fotografia, não teríamos a Casa Charllô. Foi a partir dessa base de combinar imagem, luz e cores que criamos peças para tornar os espaços da casa mais aconchegantes e coloridos”, é Lili quem diz!

 

Pesquisa e cuidado

As duas começaram a pesquisar o negócio que queriam criar há quase dois anos atrás. Passaram um ano buscando, se inspirando e aprendendo, antes de lançar a Casa Charllô, em abril de 2018. O trabalho com a fotografia bancou todo esse investimento, como elas dizem. “A fotografia é a nossa base! E continua sendo muito importante, porque fazemos as fotos dos nossos produtos”, nas palavras de Fabi.

Começaram focadas na linha bebê e infantil e, hoje, têm como carro-chefe produtos diversificados, para cama, mesa e sofá. Lili explica que o trabalho com as costureiras é um dos diferenciais da marca: a equipe é especializada e experiente e o diálogo é a base de todo o processo.

“Nossas costureiras fazem o que elas gostam de fazer. Dividimos as tarefas a partir do gosto de cada uma. É muito importante trabalhar ao lado de pessoas que estão felizes!”, ressalta Lili.

E o nome dessa marca tão cheia de identidade, de onde veio? É claro que saiu de dentro de uma história – e das boas! As amigas se desmancham em risada para contar.

O nome Charllô foi inspirado em uma personagem de nome Charlotte, que faz par com Richard Gere no filme – de arrancar suspiros – “Outono em Nova York”. Tem aconchego maior do que filme e pipoca na cama de lençol fofinho? É Casa Charllô em cada cantinho!

Hoje as vendas são prioritariamente feitas pelo site da marca, mas a empresa, com varanda e café, tomou forma. O negócio está dando tão certo que a dupla sentiu necessidade de montar um showroom, em Viçosa. Além disso, a empresa tem participado de feiras e encontros de negócios do ramo.

As parcerias com arquitetos também estão a toda energia. E o caminho tem sido o de tornar essa marca, que é um sonho compartilhado entre amigas, reconhecida em todo o Brasil. “As pessoas já identificam nossos produtos, dizendo: ‘É uma delícia dormir no lençol da Casa Charllô’. É o reconhecimento de muito trabalho”, Fabi comemora!

 

Algodão e cores made in Minas

Os produtos da Casa Charllô são feitos para colorir com conforto e aconchego. Não haveria como, então, utilizarem outra matéria-prima que não fosse o algodão.

“Dormir em um produto feito com 100% de algodão é diferente! O conforto é outro, a peça não cria bolinhas, as pessoas elogiam e buscam mais”, nas palavras de Fabi.

Em sua cartela, a marca trabalha de cores fortes ao nude. E mais: dá ao cliente a possiblidade de montar seu jogo, vendendo as peças separadas.

As meninas contam, então, que tem sido muito comum o cliente chegar com o nude em mente e sair com um pouco de colorido para a casa, em combinações harmônicas. “Cor e leveza: é o que nós queremos levar!”, Lili frisa.

Elas ressaltam que fazem questão de divulgar a procedência do que produzem: “Buscamos mostrar que é tudo feito em Minas Gerais, para valorizar o lugar de onde a gente veio”, comenta Fabi.

O plano, assim, é levar esse produto mineiro para o Brasil todo, compartilhando principalmente o cuidado que colocam em cada peça, conforme explica Lili: “Nós queremos que as pessoas sintam: ‘Minha casa tem minha cara’”.

Com cheirinho de café, bate-papo na mesa de jogos americanos, um cochilo esparramado nas almofadas no sofá, uma noite enroscada em algodão colorido… é a Casa Charllô, tornando a vida real cheia de cor!