A Têxtil Canatiba comemora meio século de atuação em 2019. A máquina mais antiga em suas fábricas tem oito anos de funcionamento, no entanto. A inovação, pautada pela tecnologia, está no DNA da empresa de jeanswear, que é a maior do país em lançamentos de acordo com informações de Ivna Barreto, gerente de marketing da marca.

“São mais de 600 produtos em linha. Nós estamos constantemente lançando tecnologia de ponta”, ressalta Ivna. Conforto atrelado à alta performance, mobilidade, caimento, tingimentos e acabamentos diversos: a cartela, tão extensa, conta com tecidos para todo gosto e demanda.

Com a missão de estar sempre à frente, a Canatiba foi a primeira têxtil do País a confeccionar tecidos elastizados, mais de 12 anos atrás, levando mobilidade à rigidez das peças. “A fábrica é realmente uma incubadora de produtos”, Ivna ressalta.

Pioneirismo que é resultado da inovação como meta principal. Recentemente, a Canatiba lançou uma tecnologia inédita para o mercado têxtil brasileiro, com um tecido elástico, que apresenta estabilidade de encolhimento: soma difícil de ser conquistada.

Os lançamentos assim são mensais e parte da rotina. Para mantê-los com qualidade, os desenvolvedores da marca fazem pesquisas mundo afora, já que vendem seus tecidos para países espalhados em todo o globo terrestre, com consolidação no mercado internacional.

Com foco nesse mercado, Ivna explica que, muitas vezes, a empresa lança um produto que só será absorvido pela demanda brasileira dois anos depois do lançamento. E, aberta à novidade, recebe as indicações e ideias que chegam. “Quando os fornecedores têm algo novo, trazem para que a gente possa testar”, ela diz.

A inovação está nas veias da fábrica desde seu lançamento. “Nós não conseguimos pensar diferente disso. É nosso DNA”, frisa a gerente de marketing.

‘Sustentabilidade não é moda’

As escolhas da empresa são feitas a partir de ideias sustentáveis e éticas, desde a busca por seus fornecedores. Todo o algodão que vai para os tecidos é certificado pela Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão), conforme Ivna ressalta. Os demais produtos utilizados seguem o mesmo padrão, com certificação de origem.

Uso racional de água e utilização de produtos químicos menos abrasivos estão entre as ações cotidianas da produção, além do reaproveitamento de todo tipo de resíduo produzido.

A empresa recicla o algodão dentro do processo produtivo dos tecidos, transformando o que seria descartado. “Quando começou a se falar da reciclagem de fios, nós decidimos trabalhar com o que temos de melhor. Aproveitar a fibra pura e transformá-la em um fio novo.” Esse processo de reciclagem dá um aspecto rústico ao tecido, no estilo do linho. “A gente recicla para ficar bonito. Senão, não faz sentido”, a gerente destaca.

No tema sustentabilidade a Canatiba não é de tendências. Atuar de maneira sustentável é diretriz bem fundamentada. “As pessoas acham que ser sustentável sai mais caro. E não é assim. Quando se pensa tanto socialmente quanto industrialmente, de maneira contínua, focando tanto em sustentabilidade quanto em tecnologia, isso faz parte do processo. Ser sustentável, no nosso caso, não é moda. É um compromisso que a empresa sempre teve”, nas palavras de Ivna.

Consolidação

A Canatiba é gerenciada por dois irmãos, filhos do empresário que a fundou 50 anos atrás, em Santa Bárbara d’Oeste. Hoje, são três mil funcionários atuando na marca e quatro unidades industriais, além de um showroom em São Paulo.

Para o futuro, a marca quer seguir inovando. “O DNA da empresa não muda. Vamos continuar fazendo lançamentos mensais, sempre trazendo novas tecnologias e materiais, pensando na sustentabilidade tanto dentro do processo fabril quanto da responsabilidade social. Isso irá permanecer pelos próximos 50 anos”, Ivna finaliza.