O nome da empresa veio da expressão “Ah, mar!”, inspiração que, quando juntas, suas letras se transformam em verbo e no sentimento que a estilista Mariana Nascimento tem pelo clima praiano.

A paixão por tudo o que este cenário de praia remete é traduzida em cada peça da Ahmar , marca de roupas catarinense que imprime liberdade e conforto na hora de se vestir. “O estilo que imprimo nas roupas é o de se sentir livre, me inspiro neste contexto do litoral porque as pessoas usam peças práticas e confortáveis quando estão na praia, têm um estilo descolado, casual. Diferente do que acontece em centros urbanos. É no que penso quando desenvolvo cada peça”, comenta Mariana.

A Ahmar surgiu em 2016, mas sua concepção e essência começaram a ser criadas ao longo da trajetória da estilista na indústria têxtil e de confecção.  Era chegada a hora de realizar o sonho de ter uma marca própria, com identidade e conteúdo.

Entusiastas da valorização do que é nacional, as coleções da Ahmar são confeccionadas na sua maioria em malhas 100% algodão com acabamento em lavanderia. A malha crua é pré-encolhida antes do corte, as peças são costuradas com linha também de algodão e depois disso é que recebem cor no processo de tingimento.

Esse processo, explica Mariana, faz com que o algodão mantenha a maciez no toque e garante o encolhimento zero. “O pré-encolhimento antes do corte e o tingimento depois de costurada faz com que a peça encolha o quanto tiver de encolher nesse processo, antes de chegar ao consumidor final”.

O procedimento faz com que o toque do algodão fique diferente e muito macio, característica imprescindível para uma marca que prima pelo conforto. “Trabalho com produtos de linha básica, com pouca informação de moda. Acompanho as tendências, mas respeito o estilo. No meu caso, absorvo mais as sugestões de cores que caem bem para o meu público”.

A estilista destaca ainda que o fato de ser básico não é sinônimo de mesmice. É possível fazer composições totalmente distintas com uma mesma peça, basta criatividade para compor o look com diferentes acessórios e calçados.

 

Roupa com conteúdo

Como é uma marca que imprime conteúdo, as etiquetas vêm com expressões junto à numeração. “Faço isso por causa do nosso conceito, dos cuidados que tenho como, por exemplo, utilizar uma fibra natural, que não irrita a pele”, comenta.

Por meio de suas criações, Mariana imprime reflexões em busca de despertar a consciência das pessoas e seus hábitos de consumo.

No início, quando participava de feiras itinerantes voltadas à economia criativa, ela utilizava as sobras do corte das roupas adultas para confeccionar roupinhas de bebê e de cachorro. “Isso tudo tem um significado que eu busco transmitir em minhas criações”.

Uma simples etiqueta reflete a preocupação da estilista, que sentia certo constrangimento nas clientes que experimentavam uma peça de tamanho G e viam que precisariam de uma GG.  “Muitas delas ficavam constrangidas ao pedir uma roupa GG, então tentei imprimir algo mais leve e escrevi ‘Gentileza gera Gentileza’ no GG. É uma forma de fazer com que a cliente não se atenha ao tamanho da peça e deu certo, as pessoas ficavam mais descontraídas ao ver o recado na etiqueta”. A P vem com os dizeres “Paz e amor”, a M traz “Mais amor, por favor” e a G, Gratidão.

Mariana destaca que roupa com conteúdo é aquela que tem uma história para contar e, cada detalhe, uma razão de ser.

 

Reposicionamento de marca

Quando criou a empresa, Mariana focou no perfil mais jovem, típico do imaginário praiano, que gosta de surfe. O enfoque começou a mudar com a inauguração da loja física, em 2017, em Balneário Camboriú.

A proximidade com a clientela fez com que ela percebesse um nicho de mercado composto por mulheres entre 40 e 60 anos, que têm dificuldade em encontrar determinadas roupas.

São mulheres que muitas vezes preferem esconder o braço e querem roupas com mangas, que não marquem o corpo e que sejam confortáveis e bonitas, ideais para o dia a dia.

“O contato com o consumidor final foi interessante porque me fez mudar totalmente o foco, inclusive, no que se refere ao gênero em que atendo”, afirma. Antes da loja, 40% da criação era voltada ao público masculino. Hoje, esse percentual caiu para menos de 20%.

“Agora a modelagem é mais ampla. Não chega a ser plus size, mas é uma linha mais confortável e solta, com menos estampa”, afirma.

A marca é nova e a empresária se sente confortável e segura em ajustá-la até achar o ponto que julga ser o ideal.

“O início é sempre de experimentações e investimento. E existe um tempo e muito trabalho até que se obtenha retorno. Devido aos custos altos da loja física em um dos pontos mais valorizados de Balneário Camboriú, precisei repensar na estratégia do negócio. O enfraquecimento da economia refletiu muito no comércio e precisei fechar a loja. Fiquei estudando estratégias digitais para focar no e-commerce e ampliar o atendimento para outras regiões. Mas teve mais uma reviravolta ai, e decidi reabrir a loja física – É impossível transmitir no virtual os principais atributos do meu produto que são o toque e o cheirinho de roupa lavada. Os clientes que compram pela internet, quase que 100% conheceram a marca na loja física. A loja nova inaugura na segunda quinzena de Maio, pertinho do antigo endereço: Rua 2000, 261 sala 2, Centro.”