Nos últimos anos, pudemos identificar um movimento de transformação coletiva com um objetivo importantíssimo: a preservação do planeta. A sociedade parece cada vez mais preocupada e atenta às questões ecológicas e sociais. É crescente a busca por produtos e serviços feitos sem agressão ao meio ambiente e dentro das exigências legais. E o aumento significativo no número de vegetarianos e veganos, na busca por fazer menos lixo, na procura por produtos orgânicos e nos demais esforços deixam claro: a tendência do consumo consciente é irreversível no mercado atual. A transformação começa com uma reflexão sobre nossos próprios hábitos e termina na mudança deles. A mudança, por sua vez, se consolida no ato de fazer uma escolha que vai na contramão de velhos costumes. Para mudar um hábito é preciso reflexão, informação e persistência. Assim, para adotar um estilo de vida mais saudável, natural e sustentável é bem importante conseguir o máximo de informações que puder sobre os serviços e produtos que você utiliza. De onde vem o alimento que você come? Sob quais condições é fabricada a roupa que você veste? Essas respostas vão ajudar a tomar uma decisão mais coerente, que reflita bem seus valores e sua personalidade. O movimento Sou de Algodão tem essa pegada. É um convite para uma vida mais saudável e leve. Uma chamada para você repensar seus hábitos e como eles podem mudar o mundo. Escolher itens que têm o algodão brasileiro em sua composição é uma atitude que segue este movimento. Isso porque as roupas de algodão, além de suaves e confortáveis, duram mais e são muito versáteis. E o algodão nacional é um produto seguro quando pensamos em questões sociais, econômicas e ecológicas. Afinal, os órgãos responsáveis fiscalizam de perto os produtores para que o produto final seja entregue cem por cento dentro dos termos do controle de qualidade exigido. Adotar um estilo de vida saudável, mudar hábitos e se conscientizar pode ser trabalhoso no início mas a recompensa tem reflexos muito positivos na nossa forma de encarar a vida e no nosso corpo. E, sem dúvida, a maior recompensa é poder contribuir com o nosso planeta e deixar um legado para as futuras gerações. abrapa_blog_transformaromundo_14022017