Nos últimos anos o algodão brasileiro deu um salto no que diz respeito a sua qualidade. Essa melhoria no nosso produto permitiu com que ele circulasse no mercado externo em patamar de igualdade com o produto de outros grandes países exportadores. A evolução do produto levou a transformação da imagem do algodão brasileiro e fez do Brasil o terceiro maior exportador de algodão no mundo, segundo dados da última pesquisa divulgada pela Abrapa. Esse progresso foi possível devido a certas iniciativas das instituições reguladoras e total adesão dos produtores. O Sistema Abrapa de Identificação (SAI) é um dos protagonistas desse avanço na qualidade e na credibilidade do produto nacional. O programa é responsável por rastrear e identificar cada fardo de algodão produzido no Brasil. O Centro Brasileiro de Referência em Análise do Algodão (CBRA) permitiu reunir, em um só local, os laboratórios de análise, que hoje contam com a tecnologia High Volume Instrument (HVI) permitindo uma análise minuciosa e entrega rápida de resultados sobre as condições da fibra.

Monitorar para chegar mais longe

A meta é que em 2017 todos os fardos produzidos no país tenham o selo de credibilidade. Isso assegura nossa posição nos rankings mundiais, nossa legitimidade como produtores e garante mais segurança para quem vende e para quem compra.