Your address will show here +12 34 56 78

Dizer que essa nova geração já vem antenada e preocupada com o futuro parece clichê, mas vemos isso se materializar quando encontramos talentos como Murilo Tadashi, que, aos 23 anos, ainda se formando em Design de Moda, no IED-SP (Istituto Europeo di Design, de São Paulo), traz esse pensamento nas peças que já começa a criar e expor em sua página pessoal. Apesar da pouca idade, já pensa grande na questão da moda sustentável e no controle da produção da cadeia têxtil. Em suas investidas na criação de peças, é adepto do upcycling (processo que se utiliza de resíduos e descartes para a dar vida a novas peças e agregar valor). “Essa parte da moda me interessa muito, quero refinar meus conhecimentos em upcycling porque acho muito bonita a transformação do material.”

Tadashi explica que, desde o início, olhava para as peças, com o objetivo de transformá-las em novas experiências de uso. Para ele, é muito importante criar algo que contribua de forma equilibrada para o ambiente no qual estamos inseridos, ou seja, moda com sustentabilidade. “É preciso pensar no ambiente e na sociedade. Esse cuidado tem de estar presente desde o momento em que alguém colhe o algodão até o descarte responsável.”



Seu projeto de upcycling com jeans não apenas se tornou conhecido ao ponto de ser finalista em um prêmio internacional da ATCTEX, mas também trouxe contribuições importantes para uma instituição que atende crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social, a ASA (Associação Santo Agostinho). A contrapartida dessa parceria era ele transformar jeans velhos e rasgados em peças novas e devolvê-las para comercialização no brechó da ASA. “Quando fui conhecer o brechó, vi que havia muitos jeans sem valor de venda, desgastados, rasgados. Pensei que era exatamente isso o que precisava. E foi a partir desse material que criei a coleção”, conta Tadashi. Com isso, o produto que já não possuía mais “vida” útil para o mercado, foi transformado em arte e recolocado na cadeia, atuando como trabalho social e contribuindo com o ambiente, já que os produtos não seriam mais descartados.  Desde então, o estilista continua ajudando como voluntário na ASA.


Além do trabalho com jeans, Tadashi fez upcycling com peças de malha 100% algodão. Como um tricô manual, ele corta o tecido, depois o estica até que se transforme em um fio contínuo. Em seguida, entrelaça essa tiras com as mãos, montando um novo acessório. Um trabalho artístico e artesanal. “Eu ainda quero estudar muito a transformação do algodão em novas peças antes de criar uma marca minha.”
Exemplos como este mostram como é possível dar um novo destino a peças que antes seriam enviadas para aterros, beneficiando pessoas e instituições, com criatividade, e reduzindo o impacto ambiental da moda. O algodão é uma das fibras que tem maior potencial para reciclagem, e projetos de upcycling chamam a atenção para isto.



0